Manejo de Espécies Exóticas

              As espécies exóticas braquearia Brachiaria sp., capim-colonião Panicum maximum e maria-sem-vergonha Impatiens walleriana sofrem manejo supressivo em toda a área de borda da UC. Essas espécies estão presentes no cadastro nacional de espécies invasoras de Mata Atlântica e apresentam um alto potencial invasor (Instituto Horus, 2010). Além disso, causam impactos na comunidade vegetal nativa e possíveis impactos econômicos. Braquearia Brachiaria SP e capim-colonião Panicum maximum acumulam uma grande quantidade de biomassa, aumentando o risco de incêndios. Maria-sem-vergonha Impatiens walleriana é de rápida propagação, dominando totalmente ambientes sombreados do sub-bosque, deslocando as plantas nativas. Esse manejo ocorre a cada dois meses, com roçadeira, foice, facão e enxada, na área de borda da ARIE.